ENTREVISTAS

KARLA COSTA: A CAMPEONÍSSIMA, A RECORDISTA DE TÍTULOS, O EXEMPLO DE AMOR AO BASQUETE E DE COMO SE FAZ BASQUETE

.:: conteudo_36452_1.jpg ::.

 E ASSIM SE PASSARAM DEZ ANOS: PRÉ-OLÍMPICO EM MADRID COM PRESENÇA DE KARLA

 Quero falar um pouco sobre uma grande campeã do nosso basquete, não vou me limitar a falar de seus números, nem de quantas vezes foi campeã, por quantos clubes passou quantos pontos, enfim, sem se preocupar com estatísticas até porque todo mundo do meio do basquete, conhece quem é a Karla Costa, sua raça, suas conquistas, seu exemplo de ser humano, sua trajetória desde sua infância na capital Federal, nossa Brasília; o clube Vizinhança, onde com seus 10 anos de idade, já sabia dominar uma bola.

            Atuando em clubes de ponta do nosso país, detentora de títulos e arrastando fãs para as quadras por onde passou. Nesta febre de hoje da Copa do Mundo na Rússia, ela já vivenciou o que  esse país tem. Karla tem em seu currículo, uma passagem por uma das maiores escolas do basquete mundial.

            Bem, falando de sua mais recente conquista, recordista de títulos da LBF, e mesmo assim, pois  as mãos na massa,  ou melhor, na tinta para pintar o ginásio para que seu time, tivesse onde jogar e posteriormente, ganhar o título para Campinas.

            Esta é a Karla Cristina Martins da Costa, um exemplo de ser humano, de bondade, de amor ao basquete, à vida e ao seu próximo. Sinônimo de luta, chegando mesmo a jogar com uma mão machucada, mas a superação, a vontade, a humildade  e todos os adjetivos de uma pessoa fantástica podem ser atribuídos a esta Diva do nosso Basquete.

            Eu como torcedor, sempre fui e continuo fã desta fascinante jogadora e tive a felicidade de conviver com ela durante  o torneio Pré-olímpico Mundial em Madrid, na Espanha, no ano de 2008. Como estávamos hospedados no mesmo hotel, conversávamos todos os  dias e minha admiração por ela foi aumentado gradativamente e continua até hoje.

            Tenho uma coleção de matérias e fotos com a Karla, que gentilmente me atendia e com o mesmo carinho de sempre. Vou aproveitar e reproduzir minha primeira entrevista que fiz com meu grande ídolo, isto, a mais de 10 anos. Veja a fantástica Karla e seu carisma de sempre.

.................

KARLA: AMO JOGAR BASQUETE

  Ela nasceu em Brasília, começou a jogar basquete na Unidade Vizinhança, clube da nossa bela capital federal e o basquete foi fazendo parte de sua vida. Logo se transformou em uma grande jogadora; os grandes clubes foram aparecendo em sua vida, defendeu as equipes paulistas da Ponte Preta, BCN , Microcamp, Santo André e São Paulo/Guaru; defendendo o basquete do Paraná, de Minas Gerais, jogando pelo Juiz de Fora e Rio de Janeiro.E para aumentar mais ainda sua bagagem, a bela Karla atravessou o Oceano chegando em quadras europeias  atuando na Polônia e no famigerado basquete da Rússia. Chegando onde todo atleta sonha, na seleção brasileira e muito ajudou o basquete do nosso país.

            Muitos são os títulos que conquistou: Copa América, Sul-Americano, por duas vezes ajudou o Brasil a se classificar para as Olimpíadas e conquistou um honroso 4º lugar nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004). Pelos clubes, é tri-campeã paulista sendo que o último foi pelo Catanduva (2008), campeã nacional e também um 4º lugar na Copa da Rússia em 2004.

            Mas Karla não é só isso, Karla é alegria, simpatia, elegância, charme, distinção. Quando entra em quadra, até a bola parece ficar mais feliz, pois sabe que será tratada com mais amor ainda. 

            Vamos conhecer um pouquinho a mais sobre Karla Cristina Martins da Costa, que defende o basquete de Americana, esta bela brasiliense de 1,73m de altura, mas o amor, a vontade de vencer e a dedicação total ao basquete são incomensuráveis.

 

CHUÁ – Karla, conte um pouco de como você iniciou sua carreira no basquete e quem eram seus principais ídolos?

KARLA - Comecei aos 10 anos no Vizinhança, por influência da minha prima,meu irmão e meu tio,todos eles jogavam e acabei seguindo o mesmo caminho.

Sempre gostei da Paula e Hortência, e depois a Branca,tentava imitar tudo que elas faziam.

 

CHUÁ – Quando você atuava pelo Vizinhança, chegou a sonhar com a seleção brasileira?

KARLA - Sonhei sempre e sempre vou sonhar com a seleção, representar o meu país é maravilhoso.

 

CHUÁ – Quem mais a incentivou a gostar de basquete?

KARLA -Meus pais foram meus grandes incentivadores, nunca me deixaram desistir e sempre estiveram sempre ao meu lado.

 

CHUÁ – O que mais falta às categorias de base do basquete feminino para que o nosso basquete cresça mais?

KARLA - Falta mais gente querer formar as atletas, hoje em dia, todos já querem as atletas formadas.

 

CHUÁ  – Você que já atuou em vários estados, como analisa a estrutura do nosso basquete feminino?

KARLA -Acredito que hoje o basquete está sem credibilidade, falta quem queira investir, por conta disso, muitas equipes estão fechando as portas.

 

CHUÁ – Você que atuou na Europa, que vantagens obteve? Euros? Que trouxe de benefício para o seu jogo?

KARLA - Apesar de não ter ficado muito tempo lá, foi suficiente para aprender muito, outros técnicos, outros estilos de jogo e principalmente, amadureci muito lá fora.

 

CHUÁ – Como está vendo o atual momento do basquete masculino, com sua liga e até que ponto isso pode ajudar o feminino?

KARLA  - Acho que o basquete feminino sempre esteve em segundo plano, isso não é novidade pra ninguém, mais se é preciso o masculino começar, que seja assim, apenas espero que logo olhem para o feminino da mesma forma.

 

CHUÁ – Um campeonato Nacional Feminino é praticamente um campeonato Paulista, que sugestões você tem para difundir o feminino para o Brasil todo?

KARLA - Acredito que enquanto não tivermos mais patrocinadores, mais equipes, há pouco há se fizer apenas rezar para que isso mude logo.

 

CHUÁ – Como está sua Americana para este ano e quais são seus planos para as próximas temporadas?

KARLA - Americana está caminhando no sentido certo, pés no chão com uma equipe ótima, acredito em trabalho e é isso que estamos fazendo todos os dias.

 

CHÁ – Sei que já jogou machucada e jogou muito bem, onde você tira toda essa força?

KARLA -Amo jogar basquete, isso é tudo pra mim, e não vai ser uma contusão que me deixara de fora!!!rsrsrs

 

CHUÁ – Quando você vai fazer um arremesso à cesta, o que pensa naquele momento?

KARLA - Acho que em nada, apenas sei que treinei muito e que arremessei para acertar.

 

CHUÁ – Qual a maior alegria que o basquete já lhe proporcionou?

KARLA - Participar de uma olimpíada já havia sido minha grande conquista, duas então, sou uma pessoa abençoada...

 

CHUÁ – Karla, agora vamos fazer uma competição de “três pontos”

CHUÁ – Um livro

KARLA - Qualquer um da Zibia Gasparetto

 CHUÁ – Um filme

KARLA - Marley e eu.

CHUÁ – Um lugar inesquecível

KARLA – Brasília

CHUÁ – Uma cidade

KARLA – Brasília

CHUÁ – Um país mais exótico

KARLA – Rússia

CHUÁ – Prato preferido

KARLA - Camarão de qualquer jeito...rsrs

CHUÁ – Amor

KARLA - Minha vida.

CHUÁ – Amizade

KARLA - Meus poucos e verdadeiros amigos

CHUÁ – Deus

KARLA - Minha força

CHUÁ – Um sonho

KARLA - Ver o basquete feminino brilhar novamente

CHUÁ – Qual a cesta mais certeira que já fez em sua vida?

KARLA - Acho que cesta não tenho nenhuma tão importante, mais acho que acertei quando escolhi jogar basquete.

 

CHUÁ – Karla, quero agradecer por tudo que fez e continua fazendo pelo nosso basquete, peço que deixe uma mensagem para todos aqueles que gostam de basquete e em especial, para seus fãs (aqui eu me incluo).

KARLA - Eu que agradeço, acredito que se existissem mais pessoas apaixonadas pelo basquete como você, muitas coisas poderiam mudar...

E acreditem nos seus sonhos, mesmo que eles pareçam impossíveis, trabalhem com honestidade, seriedade, que com certeza eles irão se realizar...

Beijo grande

...................

Voltando para o ano 2018, é a mesma Karla, vencedora, o mesmo ser humano fabuloso, e a cada vez mais querida, amada e sempre guerreira.

UMA HISTÓIRA DE AMOR

Para encerrar, veja esta narração após a conquista da LBF:

“Vou contar uma história de amor... 3 malucos, resolveram fazer do zero uma equipe de basquete feminino!
Começo difícil, vendendo sonho dos outros, mas o amor por aquilo que acreditavam, sempre estava ali!
Depois de muitos “ nãos”, muitas portas fechadas, veio o tão esperado sim. Mas quem disse que ia ser tão fácil? “ precisam pintar o ginásio... ok, nós vamos pintar. ( Tia Bete incansável, “vou com vcs”)!
Precisam de tabelas e placar... ok... iremos arrumar!
Precisam de um time... Verdade... iremos atrás de pessoas... Vamos montar a nossa família! E foi assim, que em apenas 6 meses, nos tornamos campeões brasileiros! Muita dedicação, entrega , mas principalmente amor, a forma como td é feito, como pensamos em tudo é o que nos faz campeões! Obrigada ao Hospital Vera Cruz, PagueMenos Supermercados, Danny Cosméticos, Sanasa,instituto Mood e Prefeitura de Campinas pela chance de mostrar quem somos, de poder bater no peito e dizer” Campinas tem uma equipe Campeã Brasileira de Basquete Feminino!” #kc22 #veracruzcampinasbasquete

Palavras da Guerreira, do símbolo de amor ao basquete Karla Costa

    • Você é nosso visitante número
      5.526.183

    • FOTOS & FOTOS

    • MARCOS DO CARMO

      Chua Marcos