NOTÍCIAS

29/06/2018

Venezuela vence o Brasil, vence e toma o primeiro lugar do grupo nas Eliminatórias Masculinas

.:: conteudo_36683_1.jpg ::.

Dominado pela Venezuela, o Brasil perdeu o primeiro jogo nas Eliminatórias para o Mundial e com isso ficou também sem a liderança do Grupo B da competição. Jogando em Caracas, no Parque Miranda, e com a torcida empurrando desde o início, os venezuelanos triunfaram por 72 a 56 diante de um Brasil sem inspiração no ataque e que deu, em boa parte do duelo, segundas chances aos rivais com rebotes ofensivos em sequência. No turno, na Arena Carioca 1, o Brasil havia vencido por 72 a 60. Com o resultado em casa, o time Vinho Tinto igualou a campanha do Brasil, com quatro vitórias e uma derrota, e devolveram o placar com melhor saldo de cestas, roubando o primeiro posto dos brasileiros.

Com 16 pontos, Jose Vargas foi o cestinha do jogo, metendo quatro bolas de três pontos. Com 14 pontos, Colmenares também foi bem, pegando ainda 11 rebotes. Gregory Vargas foi outro destaque, com oito pontos, oito rebotes e quatro assistências. A Venezuela conseguiu 47 rebotes, contra 27 do Brasil. Na seleção, Varejão foi o cestinha com 16 pontos e cinco rebotes. Léo Meindl apareceu bem com 14 pontos e dez rebotes. Scott Machado, de volta, foi um dos que se salvou com 12 pontos e três assistências. Mal no ataque, o Brasil arremessou para 35%, e para 20% nas bolas de três pontos.

Na segunda-feira, dia 2, o Brasil volta à quadra, desta vez contra a Colômbia, em Medellín, às 19h, para fechar a primeira fase das Eliminatórias. A seleção não perde o segundo lugar, mas a vitória é importante para que o time avance sem carregar mais nenhum revés para a próxima fase. Já a Venezuela pega o Chile e provavelmente também vencerá, mantendo o primeiro lugar no Grupo B.

Vale lembrar que as Eliminatórias da Fiba classificam sete seleções para o Mundial. Na segunda fase, o Brasil terá como rivais a Venezuela, Canadá, Ilhas Virgens, República Dominicana e Colômbia ou Chile. O outro grupo terá EUA, Uruguai, Argentina, Panamá, Porto Rico e México. Os três primeiros de cada grupo vão para a competição, mais o quarto melhor colocado. A primeira janela da segunda fase acontece em setembro, com jogos nos dias 13 a 16.

Venezuela domina desde o início

Os primeiros três minutos foram de domínio da Venezuela. Com eficiência nos rebotes, o time da casa abriu 6 a 0, em todos os lances se aproveitando de rebotes ofensivos. No ataque, o Brasil trabalhava a bola, mas nas duas tentativas para três pontos, não matou nenhuma. Na metade do quarto, a situação não mudou. Após toco de Echenique em Varejão, a Venezuela foi para a rápida transição e abriu 11 a 2. O desempenho incomodou Petrovic, que rodou o banco e trouxe Scott Machado, Yago, Jhonatan e Hettsheimeir. Scott, que voltava à seleção, entrou bem com duas assistências e uma bola de três, e o Brasil, em chute de Jhonatan, diminuiu para 17 a 13 ao fim do período inicial.

O Brasil voltou para o segundo quarto ainda dando segundas chances à Venezuela. Foi assim que os rivais colocaram 24 a 15 nos dois primeiros minutos. Ao falhar no ataque, a seleção deu mais uma opção de transição rápida, e Echenique cravou em cima de Varejão na metade do período, fazendo 26 a 17. Ao trazer grande parte da rotação titular de volta, o Brasil apresentou os mesmos erros. Huertas, Varejão e Benite não se acertavam e a vantagem da Venezuela só crescia: 32 a 17, com nove pontos a partir de erros, sendo sete de contra-ataque, além de 16 pontos no garrafão. Sem conseguir dividir a tábua com os venezuelanos, o Brasil tinha 13 rebotes contra 28 dos rivais. No último minuto do quarto, a seleção perdia por 34 a 19. Com Vargas chegando aos dez pontos, a Venezuela foi para o intervalo vencendo por 38 a 24.

O Brasil voltou com um quinteto diferente, com Hettsheimeir, Benite, Léo Meindl, Yago e Jhonatan. Mas se funcionava melhor na defesa, dando apenas oito pontos aos venezuelanos, não conseguia se recuperar no ataque, fazendo apenas quatro e mantendo um aproveitamento de 20% dos três pontos, arremessando 20 bolas para acertar apenas quatro. Na metade do período, perdia por 46 a 28. Empurrada pela torcida, a Venezuela mantinha boa margem, dificultando o ataque brasileiro, que no geral arremessava para 31%. Nos dois minutos finais, os venezuelanos seguraram o Brasil e foram para o último quarto vencendo por 55 a 34.

No começo do quarto, Varejão foi o primeiro jogador do Brasil a chegar a dígitos duplos de pontuação, com 11. Mas na linha de lances livres, o time arremessava para 40%. Com quatro minutos, a Venezuela seguia com boa frente, com 63 a 44, e Colmenares, com 14, e Vargas, com 13, eram os cestinhas do time Vinho Tinto. Na reta final do período, Huertas e Varejão melhoraram muito, Léo Meindl também, conseguindo o duplo-duplo. O Brasil chegou a trazer a diferença para 14 pontos, longe da vitória, mas perto da diferença de 12 pontos da vitória no Rio de Janeiro e que daria ao time o primeiro posto na chave. Mas a Venezuela voltou a matar duas bolas de três pontos, com Dwight Lewis, e conseguiu a vitória por 72 a 56.

Foto: Divulgação/Fiba

Fonte: https://globoesporte.globo.com

    • Você é nosso visitante número
      5.151.429

    • FOTOS & FOTOS

    • MARCOS DO CARMO

      Chua Marcos